Destaque da Semana

Itabuna: Primeiro Homicídio de Maio na Nova Califórnia

Contato. Cel...73 9117-0215

Justiça bloqueia as contas de 4 fazendas do Grupo Chaves



O Ministério Público do Trabalho (MPT) conseguiu obter na Justiça do Trabalho o bloqueio das contas da Fazenda Renascer e mais três propriedades rurais do grupo Chaves Agrícola e Pastoril Ltda. O pedido de bloqueio foi feito em ação cautelar que o MPT move contra a empresa, de Castelo Novo, município de Uruçuca, por manter cerca de 120 funcionários em condições degradantes de trabalho. A Fazenda Renascer ficou conhecida na região por ter sido locação de novela. Os procuradores Ilan Fonseca e Sofia Vilela assinam a ação com o pedido de liminar, que foi concedido pela juíza Nelia Oliveira Hudson, da Vara do Trabalho de Ilhéus. Eles alegam que “o MPT simplesmente não irá aceitar que em pleno século 21, no sul da Bahia trabalhadores rurais sejam submetidos a condições degradantes de trabalho e moradia”. Eles contam que a situação encontrada por inspeção realizada em maio do ano passado no local aponta para diversas irregularidades trabalhistas. Além de enquadrar mais de 52 funcionários de forma fraudulenta como parceiros, sem recolhimento de obrigações trabalhistas, a empresa não assumia responsabilidade sobre as condições de higiene das moradias fornecidas. Não fornecia EPIs nem ferramentas. Os alojamentos eram precários, como revelam os laudos da fiscalização do trabalho. Não havia água encanada e os trabalhadores tinham que arcar com o pagamento da energia e da alimentação. A ação pede o afastamento dos trabalhadores até que os donos providenciem a adequação das moradias. Durante o período, os trabalhadores deveriam, segundo o pedido do MPT, permanecer em local digno com despesas pagas. (A Região)

Morreu ao cair de cisterna em Itajuipe



Morreu nesta segunda feira(02), na cidade de Itajuípe, após cair numa cisterna, um homem de prenome José. De acordo com informações, o homem estava trabalhando na mesma, enquanto ingeria bebida alcoólica. Acredita-se que o mesmo sob o efeito de álcool, perdeu o equilíbrio e caiu, sendo encontrado já sem vida. O departamento de polícia técnica esteve no local, realizando o levantamento cadavérico.

Invasões de fazendas no sul da Bahia deixam fazendeiros e moradores apreensivos



Duas fazendas já foram invadidas nas cidades de Pau Brasil e Jussari, no sul baiano, nos últimos dias por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). Segundo informações de moradores, o clima na região é tenso, pois estariam programadas para esta semana mais duas novas ocupações de fazendas nos municípios de Camacan e Arataca.

"A região está apreensiva, pois chegam em caminhões, ônibus, e a qualquer momento podem ocupar fazendas. Algumas são produtivas, como a última ocupada em Pau Brasil que tem uma área de 300 hectares com plantação de cacau. Os proprietários estão pedindo ajuda do governo da Bahia nessa questão, porque nessa situação, o risco é de ter até confronto", relatou um morador de Camacan ao site Caveirão da Bahia nesta segunda-feira (2).

Sete prefeitos baianos são denunciados por crimes administrativos



Sete prefeitos baianos estão na mira da Justiça por crimes administrativos. A Justiça recebeu denúncia formulada pelo Ministério Público Estadual, na última semana, contra os prefeitos de Serrinha, Candeias, Cícero Dantas, Capim Grosso, Sítio do Quinto, Medeiros Neto e de Camamu.

Em Serrinha, o prefeito Osni Cardoso (PT), foi denunciado por uso indevido de verbas públicas para a realização de reformas em prédios públicos. É o mesmo caso no município de Sítio do Quinto, com o prefeito Cleigivaldo Carvalho Santa Rosa, investigado por uso indevido de verbas públicas.

O gestor de Candeias, Sargento Francisco (PSD) é investigado por contratação indevida de empresas para a coleta de resíduos sólidos no total de mais de R$ 5 milhões, em 2013. De acordo com a denúncia, um decreto municipal foi montado para burlar a exigência de licitação iniciada na gestão da então prefeita Maria Angélica Maia e continuada pelo atual gestor. Segundo o promotor José Emmanuel Lemos, a Prefeitura deveria realizar licitação para a contratação de empresas, após erros constatados no primeiro processo, e seguir todo o procedimento previsto na Lei 8.666/93, o que não ocorreu.

O prefeito de Cícero Dantas, Helânio Oliveira (PR) também foi denunciando por uso indevido de verbas públicas, após licitações irregulares para locação de veículos e coleta de lixo, além de contratações de escritórios de contabilidade, mediante dispensa indevida de licitação, no ano de 2013.

Em Capim Grosso, o tucano José Sivaldo de Carvalho é investigado por contratações de atrações musicais em festejos juninos promovidos em 2012.

O prefeito de Medeiros Neto, Nilson Vilas Boas Costa (PSB) foi denunciado por contratação irregular de serviços topográficos e a prefeita de Camamu, Emiliana Assunção Santos, conhecida como Emiliana de Zequinha (PP), responde por inexigibilidade indevida de licitação para a contratação de serviços de assessoria previdenciária.

Janot pede ao STF para investigar Aécio, Cunha e Edinho na Lava Jato



O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) autorização para abrir quatro novos inquéritos para investigar políticos na Operação Lava Jato com base na delação premiada do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS).

Os pedidos foram protocolados na última sexta-feira (29), mas devem ser cadastrados no sistema do tribunal somente na tarde desta segunda (2).

O procurador quer abertura de quatro inquéritos para investigar:

- o senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG);

- o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ);

- o ministro da Comunicação Social, Edinho Silva (PT-SP), que atuou como tesoureiro da campanha presidencial do PT em 2014;

- o ex-presidente da Câmara Marco Maia (PT-RS) e o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Vital do Rêgo.

Os pedidos de abertura de inquérito ainda precisam ser analisados pelo ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo.

Aécio, Marco Maia e Vital do Rêgo ainda não são investigados pela Lava Jato. Se Teori Zavascki autorizar, será o primeiro inquérito contra eles.

Edinho SIlva já é alvo de um inquérito baseado na delação premiada do dono da construtora UTC, Ricardo Pessoa. Esse poderá ser o segundo inquérito contra o ministro da Comunicação Social na Lava Jato.

Réu em uma das ações penais em tramitação no Supremo que investigam o esquema de corrupção que atuava na Petrobras, Eduardo Cunha é alvo de outros quatro inquéritos da Lava Jato. Esse seria o sexto procedimento da Procuradoria Geral da República contra o presidente da Câmara.

Além dos quatro pedidos de abertura de inquérito, Janot também solicitou ao STF autorização para incluir citações feitas por Delcídio do Amaral a integrantes da cúpula do PMDB – Edison Lobão, Valdir Raupp e Renan Calheiros – em nove inquéritos já instaurados, entre os quais o principal inquérito da Lava Jato, que apura se houve uma quadrilha para fraudar a estatal do petróleo.

Eles foram citados por desvios no Ministério de Minas e Energia e na construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará.

O que dizem os suspeitos

Em nota divulgada por sua assessoria, Aécio afirmou que considera "absolutamente natural e necessário" que as investigações sejam feitas.

Segundo o parlamentar tucano, a apuração irá demonstrar, "como já ocorreu outras vezes, a correção da sua conduta" (leia ao final desta reportagem a íntegra da nota).

"Como o próprio senador Delcídio declarou recentemente, as citações que fez ao nome do senador Aécio foram todas por ouvir dizer, não existindo nenhuma prova ou indício de qualquer irregularidade que tivesse sido cometida por ele. Trata-se de temas antigos, que já foram objetos de investigações anteriores, quando foram arquivados, ou de temas que não guardam nenhuma relação com o senador", observa trecho do comunicado divulgado por Aécio.

Também por meio de nota, Edinho Silva disse que é "favorável à apuração de todos os fatos" com relação à atuação dele como tesoureiro da campanha de Dilma na eleição de 2014.

"Sempre agi de maneira ética, correta e dentro da legalidade. As afirmações do senador Delcídio Amaral são mentiras escandalosas. Jamais orientei o senador a "esquentar" doações, jamais mantive contato com as mencionadas empresas, antes ou durante a campanha eleitoral. As doações para a campanha de Dilma Rousseff em 2014 estão todas declaradas ao Tribunal Superior Eleitoral, bem como seus fornecedores. As contas da campanha foram todas aprovadas por unanimidade pelos ministros do TSE", destacou o ministro da Comunicação Social na nota.

As acusações

Todos os pedidos se baseiam na delação premiada de Delcídio. No termo de colaboração número 4, Delcídio cita a participação de Aécio Neves e Eduardo Cunha em irregularidades em esquema na diretoria de Furnas. A Procuradoria pediu para separar para que Aécio e Cunha sejam investigados em procedimentos diferentes.

Em relação a Aécio Neves, Delcídio disse que um "grande esquema de corrupção" era operado por Dimas Toledo, ex-diretor de engenharia de Furnas, e que teria “vínculo muito forte” com Aécio.

Segundo Delcídio, esse esquema "atendia interesses espúrios do PP e do PSDB", e após 2002, do PT. O senador disse ainda na delação que "um dos beneficiários dos valores ilícitos sem dúvida foi Aécio Neves".

Sobre Eduardo Cunha, Delcídio afirmou que o presidente da Câmara recebeu dinheiro desviado e que era ligado à diretoria de Furnas.

Em outro termo de delação, o número 10, o ex-líder do governo afirmou que Edinho Silva utilizou a empresa farmacêutica EMS para pagar empresas prestadoras de serviços da campanha presidencial de Dilma Rousseff em 2014.

CPI da Petrobras

No termo de colaboração 17, Delcídio do Amaral contou que houve um esquema para impedir convocações na CPI da Petrobras, do qual, segundo ele, participaram os deputados Marco Maia e o atual ministro do TCU Vital do Rêgo.

Em nota, Marco Maia afirmou que a investigação do Ministério Público mostrará que ele é "vítima de uma mentira deslavada e descabida" que, segundo disse, tem o "único intuito de desgastar" a imagem dele e a do Partido dos Trabalhadores (leia ao final desta reportagem a íntegra da nota).

"Refuto com indignação as ilações ditas a luz de acordos de delação", enfatizou.

Por meio de sua assessoria, Vital disse que "reitera o repúdio" ao que ele classificou de "ilações" do ex-líder do governo.

"Ao tempo que reitera o repúdio às ilações associadas a seu nome na referida delação premiada, desprovidas de qualquer verossimilhança, o ministro Vital do Rêgo informa que está à disposição das instituições para qualquer esclarecimento", declarou a assessoria do ministro do TCU.

O ex-senador Gim Argello (PTB-DF) também foi citado nesse contexto, mas os fatos sobre ele estão em apuração na primeira instância porque ele perdeu o foro privilegiado ao deixar de ser parlamentar.

Nesse caso, além de pedir abertura de inquérito, a Procuradoria quer ouvir depoimentos de Gim e de diversos empreiteiros.

Leia abaixo a íntegra das notas divulgadas pelos alvos do pedido de inquérito da PGR:

Nota da assessoria do senador Aécio Neves

O senador Aécio Neves considera absolutamente natural e necessário que as investigações sejam feitas, pois elas irão demonstrar, como já ocorreu outras vezes, a correção da sua conduta.

Quando uma delação é homologada pelo Supremo Tribunal Federal, como ocorreu com a delação do senador Delcídio Amaral, é natural que seja feita a devida investigação sobre as declarações dadas.

Por isso, na época, o senador defendeu publicamente que fossem abertas investigações sobre as citações feitas ao seu nome.

Como o próprio senador Delcídio declarou recentemente, as citações que fez ao nome do senador Aécio foram todas por ouvir dizer, não existindo nenhuma prova ou indício de qualquer irregularidade que tivesse sido cometida por ele.

Trata-se de temas antigos, que já foram objetos de investigações anteriores, quando foram arquivados, ou de temas que não guardam nenhuma relação com o senador.

O senador Aécio Neves reitera o seu apoio à operação Lava Jato, página decisiva da história do país, e tem convicção de que as investigações deixarão clara a falsidade das citações feitas.

Assessoria do senador Aécio Neves

Nota do deputado Marco Maia

Quanto a iniciativa do Ministério Pública Federal de pedir a abertura de inquérito envolvendo minha pessoa gostaria de dizer:

Que entendo a posição do MP, mas a investigação irá mostrar que sou vítima de uma mentira deslavada e descabida com o único intuito de desgastar a minha imagem e a do Partido dos Trabalhadores, o qual faço parte. Refuto com indignação as ilações ditas a luz de acordos de delação.

Fui relator de uma CPMI em 2014, onde pedi o indiciamento daqueles que me acusam, o que foi aprovado pela comissão. Foram 53 indiciamentos e mais o pedido de investigação de 20 empresas ao Cade, pela pratica de crime de Cartel.

Como já havia afirmado anteriormente, não recebi nenhuma doação para minha campanha eleitoral em 2014 de empresa que estivesse sendo investigada pela CPMI.

Por fim utilizarei de todas as medidas legais para que a verdade seja estabelecida e para que os possíveis desgastes a minha imagem de parlamentar sejam reparados na sua integralidade.


Xand do Aviões revela preconceito sofrido e fala sobre concorrência com Safadão



Há quem veja a banda Aviões do Forró como o principal nome do gênero atualmente. Mas, também há quem pense que no momento, o grupo não ocupa mais o topo das paradas com a chegada de outros artistas, a exemplo de Wesley Safadão. Em meio às diferentes visões, Xand garante que a concorrência só ajuda o ritmo a se consagrar cada vez mais. Em entrevista ao colunista Léo Dias, do jornal O Dia, o cantor do Aviões falou sobre a suposta rivalidade com Safadão e também as irmãs Simone e Simaria. 

"Quando vemos outro artista ou banda crescendo e fazendo sucesso ficamos muito felizes. Há 14 anos, estamos puxando esse barco não só no Nordeste, mas no Brasil. Com a chegada de artistas como Safadão e Coleguinhas o movimento cresce e é bom para todo mundo. Tomara que apareça mais uns quatro Safadões, quatro Aviões e mais umas oito Coleguinhas. Não importa quem leva,o importante é o forró chegar e ter o devido valor que merece".

E o espaço que vem sendo conquistado pelo forró, para Xand, é fruto de trabalho sem desavença entre cantores e empresários do gênero. "Nem tudo é o que parece. Eu acho que hoje o forró cresceu tanto que não temos tempo de ficar pensando em desunião. Cada um está correndo atrás do seu. São muitos shows, presenças, estúdio, TV, rádio…

 Acaba que não encontramos os amigos com a frequência que gostaríamos".Questionado sobre as dificuldades no início da carreira, o vocalista relatou o preconceito sofrido juntamente com Solange Almeida. "Preconceito comigo e com Sol pelo nosso excesso de peso… Preconceito com o nome ‘Aviões’… A piada era dizer que iria explodir quando decolasse. Foram tantas as dificuldades que até já esqueci".

Grandes amigos, Xand aproveitou para elogiar a parceira de banda. "Qualidade dela é que é uma cantora como poucas que existe no mundo: tanto pela afinação como pela extensão vocal", e garantiu que não pretende desfazer a parceria. "Da minha parte, eu não tenho planos de sair do Aviões do Forró tão cedo".

Após pancada no clássico, Marinho vai trocar folga por tratamento no Barradão



Depois de levar uma pancada no tornozelo durante o clássico BaVi, vencido pelo Vitória por 2 a 0, o atacante Marinho falou do tratamento para atuar no jogo de domingo (8), às 16h, na Fonte Nova.

“Acredito que não seja problema para o próximo clássico. O médico deu uma olhada e pediu para eu vir para cá (Barradão) e começar o tratamento”, declarou Marinho.

O jogador falou também da vantagem que o time possui para o segundo jogo. “Pensamento é o mesmo. Temos que vencer como qualquer jogo. Não podemos colocar a vantagem mesma postura e bem concentrado”.

“Temos que incorporar o espírito da torcida”, declara o zagueiro do Bahia



Depois de perder o primeiro clássico da final do Campeonato Baiano para o Vitória, pro 2 a 0, o Bahia precisa vencer por dois gols de vantagem para chegar ao tricampeonato. Para isso, o zagueiro Éder comenta sobre o que será necessário para isso acontecer.

“Temos que entrar com determinação e incorporar o espírito da torcida. Eles querem o título e nós queremos dar essa conquista. Para isso precisamos dar um algo a mais. Todas divididas tem que ser nossa, segunda bola também”, declarou o zagueiro do Bahia.

Nesta segunda-feira (2), o elenco do Bahia está de folga. O time volta as atividades para o duelo contra o Vitória, programado para domingo (8), às 16h, na Fonte Nova.

Salvador: Homem é morto a tiros dentro de carro na Baixa do Fiscal




Um homem foi morto a tiros na tarde desta segunda-feira (2) na Baixa do Fiscal, subúrbio ferroviário de Salvador. A polícia, que ainda não tem informações sobre a causa e autoria do crime, já está no local. A vítima estava dentro de um veículo Renault Logan de placa NZC 0855, que não tem restrição de roubo. Por conta das viaturas paradas na via, um grande engarrafamento se formou na região, interferindo no trânsito do Viaduto dos Motoristas, Largo do Tanque e Calçada, além da avenida Suburbuana.

Justiça determina bloqueio do WhatsApp no Brasil por 72 horas



Vixe. A Justiça determinou o bloqueio do aplicativo WhatsApp por 72 horas em todo Brasil. As operadores de telefonia fixa e móvel devem cumprir a obrigação a partir de 2h da tarde desta segunda-feira, dia 2. Segundo a Folha de S. Paulo, as operadoras TIM, Oi, Claro, Nextel e Vivo disseram que já receberam e vão cumprir a determinação. A decisão foi do juiz Marcel Montalvão, da comarca de Lagarto, em Sergipe.




 
 
▲ TOPO