quarta-feira, 17 de junho de 2015

Entidades denunciam irregularidades na eleição do CMT

A eleição do Conselho Municipal de Transportes de Itabuna, realizada nesta quarta-feira (17), poderá ser anulada na justiça. Uma série de irregularidades foi identificada no processo e levou seis entidades com assento no CMT a se retirar da eleição. As mesmas instituições irão ingressar com representação no Ministério Público, pleiteando o cancelamento do pleito. Entre os problemas que comprometem a eleição do CMT, está a publicação de um decreto com informações desatualizadas sobre os integrantes do conselho. Alguns membros sugeriram que a direção adiasse a eleição até que o governo municipal corrigisse o erro, publicando um novo decreto. A recomendação foi ignorada pela presidência do CMT. Outra solicitação apresentada por representantes de entidades que integram o conselho, foi o fornecimento de uma cópia do regimento interno do órgão. Apesar de ser um documento público e de livre acesso à comunidade, o pedido também foi negado. Entre as entidades que apontam falhas e atropelos no processo sucessório do CMT, estão a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sindicato dos Comerciários, União das Associações de Bairro de Itabuna (Uabi), Sindicato dos Taxistas, Associação Baiana de Estudantes Secundaristas (Abes) e a API/APLB, que representa os trabalhadores da educação. “Existem erros graves, que invalidam a eleição, como o não cumprimento do prazo de três dias entre a convocação dos membros e a realização do pleito”, aponta o presidente do Sindicato dos Taxistas, Eduardo Cardoso (foto). Segundo ele, “as entidades se retiraram por se tratar de um processo ilegal”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *