sexta-feira, 19 de junho de 2015

Policial é preso com R$ 1 milhão dentro de mochila em Santos, SP


Após mais de um mês de investigação, policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) que atuam em Santos, no litoral de São Paulo, prenderam dois homens com R$ 1 milhão em espécie. Eles fariam depósito em uma agência bancária que fica no bairro do Gonzaga, um dos mais movimentados da cidade. A Polícia Civil acredita que o montante seja proveniente de sonegação fiscal de empresários da capital paulista. Um dos suspeitos de envolvimento no crime é policial militar da reserva. De acordo com as investigações, ele buscava o dinheiro em São Paulo, onde mora, e depois o levava, dentro de uma mochila, para Santos. Assim que chegava à região, entregava o montante para outra pessoa, que seria responsável pelo depósito.“Recebemos informações de grandes movimentações financeiras em contas jurídicas do Banco do Brasil e isso chamou atenção, já que além dos valores, havia também um padrão. Os suspeitos faziam os depósitos sempre nos mesmos dias e horários”, explica o delegado responsável pelo caso, Luiz Ricardo Lara. A dupla já vinha sendo investigada há pelo menos 45 dias e foi detida na tarde da última quinta-feira (18), após investigadores montarem campana próximo ao banco. Segundo o delegado, ainda não é possível “cravar” do que se trata, mas a principal suspeita é de sonegação de impostos e lavagem de dinheiro. Isso porque, em um primeiro depoimento, o PM aposentado, apontado como interlocutor do esquema, revelou apenas que recebia orientações de pessoas com 'orientais'. “Vamos continuar o trabalho para descobrir qual a real origem desse dinheiro e também encontrar alguma possível ligação com uma quadrilha especializada”, afirmou o delegado. Não foram fornecidos dados das empresas envolvidas para não atrapalhar as investigações. Em flagrante O policial militar da reserva Reginaldo Aparecido Ramos, de 49 anos, foi preso em flagrante por lavagem de dinheiro e encaminhado ao presídio Romão Gomes, na Zona Leste de São Paulo. Já Neilson Gonçalves Guimarães, de 35 anos, foi indiciado por lavagem de dinheiro e uso de documento falso. Ele foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Vicente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *